CALAEXPRESSO 199(Outubro 2020)

Boletim do Movimento Africano das Crianças e Jovens Trabalhadores

(MACJT) Publicado por Enda

***************************************************************************

Escreva-nos para [email protected] ou à [email protected]  e visitahttp://www.maejt.org e no facebook https://www.facebook.com/Mouvement.Africain

*********************************************************

  • * Costa do Marfim: jovens formados na participação ativa e não violenta no processo eleitoral
  • * Etiópia: campanha de conscientização sobre medidas de proteção contra COVID-19
  • * RDC: capacitação para crianças
  • * Ruanda: crianças equipadas com COVID-19
  • * Tanzânia: Promoção do direito de brincar e lazer.

*****************************************************

* Costa do Marfim: jovens formados na participação ativa e não violenta no processo eleitoral

Em parceria com a coordenação nacional das ACJT da Côte d’Ivoire, foram formados 35 jovens dirigentes de comunidades, associações religiosas, consuetudinárias e tradicionais sobre o tema « A participação activa e não violenta dos jovens no processo eleitoral para a consolidação da paz  » Organizado em Grand Bassam pela Rede Chalom para Transformação e Reconciliação de Conflitos (REST-COR), este treinamento permitiu aos participantes conhecer as diferentes etapas do processo eleitoral e sensibilizar os atores políticos e seus ativistas para trabalharem para o paz e o bom andamento de eleições pacíficas. Esta formação teve também como objetivo criar uma plataforma gerida pela ACJT com a missão de formar, informar e sensibilizar os dirigentes partidários e seus militantes para um processo eleitoral tranquilo.

[email protected][email protected][email protected]

* Etiópia: campanha de conscientização sobre medidas de proteção contra COVID-19

Nas três comunidades (as comunidades de Chew Berenda e St. Michael em Addis Ababa e a comunidade de Wonji Shewa em Nazaret), a ACJT da Etiópia conduziu uma campanha de sensibilização sobre medidas de protecção contra COVID- 19 em Addis Ababa e na região de Adama. Durante esta campanha, teve lugar uma discussão da comunidade sobre o impacto do COVID-19 nas CJT, o papel dos gabinetes governamentais, OSCs e a comunidade como um todo para melhor proteger as crianças e jovens vulneráveis. esta pandemia. Maior ênfase tem sido dada ao papel das meninas e mulheres jovens na linha de frente na luta contra o covid-19 em suas respectivas comunidades. A campanha atingiu mais de 1000 crianças e jovens, incluindo meninos de rua e CJT. O foco tem sido nos protocolos de segurança COVID-19, em particular no uso de silenciosos. No final da atividade foram distribuídos silenciadores, higienizadores de mãos, cartazes desenhados pelas ACJT. Como estratégia de sustentabilidade, ACJT organizou encontros de advocacia e comunicação envolvendo autoridades governamentais locais, CJT, actores comunitários e um representante de OSC. Uma reunião durante a qual as discussões se concentraram em como fortalecer a rede existente de proteção à criança para torná-la mais acessível a todas as crianças carentes

[email protected]

* RDC: capacitação para crianças

De 10 a 12 de setembro de 2020, um total de 22 crianças, incluindo 16 meninos e 6 meninas, receberam treinamento na identificação de comunidades vulneráveis e na popularização de gestos de barreira e na fabricação de gel hidro-alcoólico. Estas crianças vieram de diferentes ACJT incluindo Bukavu, Goma, Nyiragongo, Baraka Fizi, Kibabi, Minova, Kamanyola, Kalonge, Beni,Butembo. Organizado pelo CNAEJT-RDC com o apoio financeiro do Ignite e o apoio técnico da Liga Africana de Jovens sem Fronteiras, este workshop equipou as crianças participantes que já sabem identificar comunidades vulneráveis e popularizar gestos de barreira. Eles também estão equipados para a fabricação de gel hidro-alcoólico que pode constituir um IGA para as CJT, especialmente porque o gel é procurado durante este período de COVID 19. Isso pode ajudá-los a obter uma renda adicional.

[email protected][email protected]

* Ruanda: crianças equipadas com COVID-19

30 crianças, incluindo 22 meninas e 8 meninos de diferentes comunidades da cidade de Kigali, participaram de uma consulta sobre as situações vividas durante e após o parto sobre o tema: « Crianças e Covid-19 ». Entre as visões comuns das crianças sobre o impacto da Covid-19, podemos notar, entre outros: a falta de conhecimento sobre a Covid-19, o estigma e a desinformação em torno da pandemia, a necessidade de proteção especial, a exposição de crianças a tarefas de adultos, como construção e trabalho doméstico, aumento do número de meninos de rua, gravidez na adolescência por falta de educação sobre o direito à saúde sexual e reprodutiva (DSSR), etc.

Para conter a disseminação da Covid-19, as crianças defendem medidas como: continuar a defender os interesses das crianças com o governo e outras organizações internacionais que trabalham em favor das crianças, usando a mídia como fonte de informação que educar a comunidade sobre o impacto da Covid-19, ajudar as crianças com materiais e meios adequados para protegê-las da pandemia e incentivá-las a levar a mensagem de conscientização a seus colegas e à comunidade para conter o COVID -19. 150 cartazes com a mensagem « Juntos, vamos lutar Covid-19 » produzidos pela CVT foram exibidos em diferentes cantos da cidade com o objetivo de sensibilizar os cidadãos, especialmente as crianças, sobre o impacto do Covid-19 e como a comunidade deve se comportar para não expor as crianças à ameaça da pandemia.

As crianças exortaram diferentes instituições e organizações públicas a atender ao chamado das crianças de rua para ajudá-las a usar máscaras de proteção e outros produtos que podem ajudá-las a ficar seguras. Jornalistas de diferentes canais de transmissão, como: rádio de voz americana, Flash TV, Flash Radio, Isango TV, Contact TV, Contact Radio, Kigali today e Inspire.org coletaram as opiniões das crianças e se comprometeram a continuar promovendo seus argumentos. de vista, que são a base dos direitos e do bem-estar da criança.

[email protected][email protected]

* Tanzânia: promoção do direito de brincar e lazer.

Tendo compreendido o papel do brincar no desenvolvimento infantil, o CYVC, com o apoio da IGNITE através da ENDA / MAEJT, construiu um parque infantil numa escola em Arusha « Escola Primária Salei » e disponibilizou equipamentos lúdicos, como balões. Isso teve um grande impacto porque muitas crianças agora vão à escola regularmente e têm tempo livre para brincar e se divertir. Em sua missão de promover os direitos da criança, a Children and Youth Voice Coalition (CYVC) considera o direito à brincadeira e ao lazer um dos direitos mais importantes e essenciais para o desenvolvimento da mente das crianças, de sua força física e bem-estar. Na verdade, tanto em casa quanto na escola, as brincadeiras permitem que as crianças tenham autoconfiança e desenvolvam uma boa interação entre elas e as ajuda a se envolverem plenamente com seus pais ou professores. Especialmente porque brincar em casa e na escola seguindo regras e regulamentos pode ajudar a aumentar a atenção das crianças e melhorar seu desempenho na escola. Além disso, em alguns casos, o abandono escolar pode ser resolvido proporcionando-se tempo livre para as crianças participarem de diversos esportes e jogos que limitam sua frequência a grupos perigosos.

[email protected][email protected][email protected]

Encontro brevemente com Calao Expresso n°200!

Leave a Reply

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *